quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Saudade



Saudade do teu perfume,
Que às vezes acho que sinto.
Impulso instantâneo,
Na lembrança repito.

Saudade da tua voz,
A qual finjo ouvir.
Feminina, gostosa,
Forço a memória a sentir.

Saudade do nosso beijo,
No qual vejo o infinito.
Com olhos fechados,
O tempo não sinto.

Saudade de te fitar,
Bem de perto,
Pra fixar,
Com o olhar curto,
A imagem do amar,
Sem nenhum turvo.

E, felizmente,
Toda a saudade é preenchida,
Rapidamente,
Com mais perfumes marcantes,
Mais beijos paralisantes
E mais olhares inocentes.

2 comentários:

flavs disse...

eu sou MUSA!

mad disse...

tens imenso jeitoooooo